Quanto vale a garagem do seu apartamento?

02/04/2015

Você compraria um imóvel de lançamento, sem vagas de garagem ou com número reduzido delas? A possibilidade da oferta de novos imóveis em tais condições começa a ser aventada pelo segmento produtivo do mercado imobiliário paulistano. Em cidades como São Francisco, Nova York e Londres o espaço reservado para os automóveis nas garagens dos empreendimentos é definido por lei, conforme a infraestrutura viária e de transporte existente. Alguns edifícios têm várias vagas, outros, nenhuma. A curva de evolução histórica mostra que os espaços ocupados por garagens cresceram demasiadamente, em relação à área privativa total dos edifícios construídos em São Paulo desde o início da verticalização, na década de 1930. Para ilustrar este caso, uma projeção para 2020 indica que haveria 58,69 m² de garagens para um apartamento de 100 m². As consequências negativas seriam: aumento nos custos dos imóveis devido à área adicional que precisaria ser construída para as garagens, e trânsito ainda mais caótico, com toda a sua herança nefasta para a economia nacional, para a saúde e qualidade de vida da população. No caso da venda, essa característica pode agregar valor ao seu imóvel e se tornar um diferencial. A garagem é considerada uma unidade autônoma e faz parte da área comum do imóvel. Seu valor é adicionado ao preço da unidade com base em seu custo de construção. Mas o custo de uma vaga depende da necessidade de espaços para estacionamento na região na qual está localizada. Quanto maior a procura, mais alto será o seu preço.

Voltar ao Blog

Entre em contato conosco

Escolha a forma de preferência e entre em contato com a gente