Financiar ou alugar – qual a melhor opção?

17/04/2015

A primeira pergunta que surge quando começamos a pensar em ter nossa casa própria é: alugar ou comprar, qual é a melhor opção? Cada uma tem suas vantagens e suas desvantagens, mas conhecendo um pouco as possibilidades fica mais fácil definir o caminho mais adequado para a própria situação. O aluguel pode te proporcionar algumas vantagens, principalmente se você ainda não tem uma reserva guardada. A maior delas com certeza será a agilidade de sua mudança, o baixo custo pago mensalmente (que nem sempre é tão baixo assim) e a manutenção, já que, a maioria dos contratos, ficam como obrigação do locatário as reformas necessárias. Por outro lado, temos o financiamento imobiliário que talvez seja sua maior vantagem. Com ele você terá o verdadeiro “cantinho” para chamar de seu. Vejamos alguns pontos favoráveis e desfavoráveis de cada opção: Segurança Um dos principais argumentos favoráveis à compra do imóvel é a questão da segurança. As pessoas tendem a se sentir mais confortáveis sabendo que estão morando em um imóvel próprio. Outra vantagem que costuma ser citada por quem compra o imóvel é que não há o risco de ser obrigado a mudar de endereço quando o locador quiser o imóvel de volta. Por outro lado, para quem aluga imóvel, se o índice de criminalidade em sua vizinhança aumentar, é muito mais fácil mudar de endereço e buscar um bairro mais tranquilo. Mobilidade Para os que são jovens e/ou vislumbram morar em outra cidade ou mesmo em outro país, alugar um imóvel para morar normalmente é a melhor decisão. Isto porque, a pouca liquidez dos imóveis acaba dificultando a venda e ainda há os custos relacionados, como a comissão do corretor de imóveis, além do imposto de renda sobre eventual ganho patrimonial. Outra vantagem para quem aluga, principalmente nas cada vez mais congestionadas metrópoles do país, é a facilidade para mudar para um endereço mais próximo ao trabalho, o que possibilita uma melhor qualidade de vida. Aspecto financeiro A maioria das pessoas acaba levando em conta somente o valor do imóvel, e acabam esquecendo das “despesas extras”. Para começar, na compra de um imóvel, impostos e taxas podem perfazer cerca de 5% do valor de aquisição. Se o imóvel for novo, você ainda deve levar em conta a instalação de pisos e metais, além da compra de armários e peças de decoração. Quanto às formas de financiamento imobiliário, você pode ter parcelas pré ou pós-fixadas e, dependendo do valor do imóvel, você pode usar o saldo da sua conta no FGTS como entrada do financiamento. Esta é uma das principais vantagens da compra sobre o aluguel para quem possui saldo no FGTS, uma vez que a rentabilidade dos valores aí depositados costuma perder da inflação. Caso tenha interesse em pesquisar as taxas de juros praticadas prazos e valor das parcelas, a maioria dos sites dos bancos oferece a possibilidade de simular as condições de um financiamento imobiliário. Já ao alugar um imóvel, você deverá recebê-lo em condições de uso e ter um fiador que garanta o pagamento do aluguel. Caso não o tenha, você terá o custo adicional de contratar um seguro-fiança, cujo custo gira em torno de 6,5% a 11% do valor do aluguel e pode cobrir não só o aluguel como também o condomínio, IPTU e contas de água, luz e gás. A maioria das pessoas decide entre comprar ou alugar um imóvel sem refletir muito. Em geral, a decisão é pautada pela questão da segurança (“ter um lugar próprio para morar”) e apenas observando se as parcelas cabem no orçamento. O objetivo principal deste texto é o de alertar para outras questões que devem ser consideradas nesta decisão, ajustando-a de acordo com os objetivos de vida.

Voltar ao Blog

Entre em contato conosco

Escolha a forma de preferência e entre em contato com a gente